A Taste of the Past

O designer Moustafa Khamis criou uma série de posters de diferentes cidades dos EUA com fotografias vintage. Ele usa técnicas de texturização e faz uma bela composição com as badges nas imagens, confira:


Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest

Linha de bebidas Super Mario Bross Red Bull – Pixel Collection

Para resgatar a Princesa Peach das mãos do malvado Bowser, Mario precisa dos cogumelos e outros aparatos para conseguir força e seguir o percurso. O designer Jhonatan Ayala fez uma proposta diferente dessa com o energético Red Bull, para o personagem obter mais energia de forma simples sem ter que quebrar blocos. O conceito por detrás da Coleção Pixel é que ao beber um Red Bull o personagem pixelizado pode crescer a um Super Mario não pixelizado cheio de energia. 


Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest

The Artist

The Artist (O Artista, 2011) é uma produção ousada do diretor e roteirista francês Michel Hazanavicius. É uma verdadeira viagem à era de ouro do cinema, filmado em preto e branco e (quase) mudo, o longa recebeu 10 indicações ao Oscar.



Um filme de enredo simples, mas contado de forma primorosa. O diretor recriou a estética do cinema mudo para contar a história de um astro que entra rapidamente em declínio devido a transição do cinema mudo para o falado.

O cenário histórico é de Hollywood no início dos anos 1930, ir ao cinema era uma forma importante de entretenimento e um meio de encontro social. Nesse contexto encontramos o personagem principal da trama: George Valentin (interpretado por Jean Dujardin), uma estrela do cinema mudo que tem o mundo aos seus pés, é extremamente vaidoso e adora exibir o seu charme. Mas toda essa pompa é destruída quando a indústria cinematográfica se rende ao advento dos filmes sonorizados.





O cinema mudo expressava a palavra através da representação, havia entre os frames letreiros com alguns diálogos, mas quem contava a história eram as expressões e os movimentos dos artistas, que foram importados do teatro. Note que em filmes mudos antigos a representação era bem exagerada e teatral, o artista tinha mais liberdade. Com a chegada do som a forma de representar teve de ser repensada, pois a teatralidade e mimica não combinavam junto com a fala, muitos artistas não conseguiram se adaptar a essa nova forma de representação e se viram obrigados a sair de cena. A figura de Valentim retrata essa decadência vertiginosa de muitos atores da passagem do cinema mudo para o filme falado. 

Em contraponto uma jovem dançarina e aspirante a atriz Peppy Miller (interpretada por Bérénice Bejo) ganha notoriedade na indústria hollywoodiana e desponta numa carreira bem sucedida como atriz de filmes falados, ela conheceu o sucesso com a ajuda de George. Sua figura faz alusão aos artistas que estavam começando na época do cinema falado e abraçaram a novidade.





A insistência de George em produções mudas ilustra a resistência que os artistas tiveram em agarrar uma nova oportunidade no cenário cinematográfico, ao ser engolido pelos avanços tecnológicos, o personagem também revela uma faceta cruel e contemporânea: a do descarte.

Vivendo o mesmo momento, mas diferentes realidades, os caminhos desses dois artistas se cruzam ao longo da projeção. Ela em constante ascendência e ele cada vez mais fadado ao declínio e esquecimento. 

The Artist é repleto de bom humor, referências e sacadas, é um exercício nostálgico e uma linda homenagem à Sétima Arte e aos seus amantes. Pelo menos para mim, foi um filme em que eu não disse “devolve meu ingresso” vale muito a pena assistir (caso queira baixá-lo clique aqui).


Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest

Cadillac Rockabilly Party

Casa tradicional de danças da Vila Mariana ganha noite dedicada ao rockabilly
Com três livros lançados, um deles cujo assunto é exatamente o rock n´roll, a escritora Paula Febbe, promove, a partir de janeiro, uma noite de dança dedicada ao rock dos anos 1950.


(Foto: Reprodução)

Dizem que quem mergulha no universo do rockabilly não sai nunca mais. “Vira sim, um estilo de vida”, acredita Paula Febbe. Não é à toa que após 15 anos de pausa, o som foi responsável por fazer com que a bailarina, hoje produtora cultural e escritora, voltasse a dançar e ainda resolvesse lançar uma festa totalmente dedicada ao rock dos anos 1950.

“Depois de perceber como precisava da dança em minha vida, decidi promover uma festa para que outras pessoas pudessem sentir o mesmo que eu. A ideia é quebrar a semana com um som gostoso e dançante, numa festa que comece cedo e possa reunir um público bem variado”, conta Paula, também autora de três livros, sendo que um deles tem exatamente o rock ‘n roll como tema central.

Paula Febbe (Foto: Divulgação)
 
Após ser promovida durante um ano em outra casa noturna de São Paulo, a festa volta com tudo, só que dessa vez, com preço e local mais acessíveis, a pedido do seu público. Com entrada a R$ 20, a noite será realizada no tradicional clube de danças “Zais – A Casa Mais Dançante de São Paulo”, localizada próxima ao metrô Vila Mariana.

Vídeo da primeira versão da festa no Bourbon Street, com a banda Henry Paul Double:



Cadeiras colocadas apenas nas áreas de circulação da casa darão espaço a uma vasta pista de dança. “Pessoas que não dançam também podem se divertir, pois as músicas sempre serão convidativas. E quem quiser aprender, sempre terá alguém disposto a ensinar os passinhos básicos”, revela Paula.

“A ideia é que os encantos do rockabilly cheguem tanto até pessoas que vivem de acordo com o estilo e buscam cada vez mais opções de festas, quanto até em quem ainda não entende muito deste mundo, mas está disposto a conhecê-lo”, explica a idealizadora.

A noite acontecerá uma quinta-feira por mês e terá como residente a produtora cultural e jornalista, Mirella Fonzar, editora do portal Be Style e também amante do universo 1950’s. A DJ promete agitar a pista com o melhor do rockabilly, doo-wop, rock ‘n roll 50’srhythm and blues, hillbilly e afins.



Serviço
Cadillac Rockabilly Party
Dia: Quinta-feira, 29 de janeiro de 2015
Local: Rua Domingos de Morais, 1630 – Vila Mariana – São Paulo / SP
Preço: R$ 20
Horário: A partir das 20h
DJ: Mirella Fonzar
Realização: Paula Febbe
Apoio: Be Style

Evento no facebook

Índice de blogs vintage e retrô

Olá nostálgicos, depois que entrei na blogosfera e comecei a me envolver mais com outras blogueiras, descobri que várias pessoas trabalham no sentido de promover a cultura vintage e retrô, inclusive algumas já estão há muito tempo nesse meio. Então decidi fazer esse índice pra que vocês as conheçam e possam aumentar o repertório de vocês no assunto. Esse índice será permanentemente editado, dessa forma se você tem um blog no tema ou conhece algum que ainda não esteja aqui, deixe nos comentários o nome do blog e do seu autor que irei atualizando. Os blogs são nacionais e internacionais.

A

B

Blue Pineapple – Larissa
By Gum, by Golly – Tasha
By Samy - Samantha

C

Casa Cherry – Viviane
Chá com Cupcakes – Monique
Cherry Cris - Crislaine
Chronically Vintage – Jessica
Crítica retrô - Letícia

D

Divas Pin Up - Emily

E

Emmas Vintage – Emma

F

Flor Vintage - Ingridi

G

Garota Vintage - Ana Caroline
Golden Age Movies – Inajara e Marluana

H


I

Im Cherry Bang – Gabriella

J

K

Keiko Lynn - Keiko
Kitsch Chic - Carol

L

Livin Vintage - Emily

M

Miss Beta Diário – Elisabete
Miss Cherry – Lais
Mix da Cris Retrô – Cristina
Mulher Vitrola – Renata
My Little Candy - Jessica

N

Na Garupa da Vespa - Letícia

O

Oh Amiga! - Awa

P

Pin ups do Brasil - Martika
Pin up Moderna - Larissa

Q

R

Retrôckabillyzando – Letícia
Retrô Rock - Aline

S


T

The Dracurella – Bianca
The Vintage Romance – Gloria e Elaine
Things i love - Ritielle

U

Un-necessary - Anallu
Urbano e retrô – Jell e Marcelo

V

Valentina Mag – Diana e Equipe
Va-Voom Vintage - Brittany
Victorias Vintage – Victoria
Violeta Lilás Vintage – Nilse e João
Vintage Darling – Daniele
Vintage e Geek – Inajara
Vintage Iz - Izabel
Vitrola na Vitrine – Fernanda e Equipe
Viva o retrô - Tatiana
Vixen vintage - Solanah

W

What Olivia Did - Olivia
Wish Wish Wish - Carrie

X

Y

Z

Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest

Shutterstock

Um tributo a cinco grandes diretores do cinema moderno

A Shutterstock fornece globalmente imagens de alta qualidade, vetores, ilustrações, vídeos e músicas licenciados para empresas, agências de marketing e organizações de mídia. Para divulgar sua nova ferramenta de edição de vídeos do banco de imagens (Sequence), fez um vídeo de homenagem a cinco grandes diretores do cinema usando material próprio, e o resultado ficou muito bacana!

Existem poucas coisas mais importantes para um diretor de cinema do que o estilo visual. Ainda que a estória e performance sempre recebam a atenção principal, o visual do filme pode ser tão importante quanto. O estilo visual dá ao diretor sua voz única que pode fazer com que seu trabalho seja reconhecido sem que uma palavra seja dita. E com reconhecimento vem reputação: diretores legendários como Francois Truffaut, Orson Welles, e Alfred Hitchcock têm estilos tão distintos que seus nomes se tornam sinônimo de suas estéticas singulares.

Hoje, isso é mais importante do que nunca. Diretores modernos têm que encontrar meios de contar suas estórias que os distingue, e um grupo seleto o faz de uma maneira que fala às suas sensibilidades pessoais mas que também encontra ressonância com um público amplo. No vídeo abaixo, prestamos homenagem ao estilo visual de cinco lendas dos dias atuais usando apenas vídeos e música encontrados nos arquivos da Shutterstock. 



Clique nas imagens abaixo para explorar os clipes da Shutterstock que foram usados para criar os vídeos, além de vídeos adicionais que refletem o estilo de cada diretor. 







Que outros diretores você acha que têm um estilo único, que vale ser homenageado? Conte para a gente nos comentários - ou melhor ainda, faça o seu próprio tributo usando o Sequence, a nova ferramenta de edição do Shutterstock Labs!  

Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest