Disquetes revelam a arte digital de Andy Warhol

quinta-feira, maio 01, 2014


Mais associado aos anos 1960 por suas obras mais famosas que são as latas de sopa Campbell’s e o rosto de Marilyn Monroe, Andy Warhol viveu e continuou trabalhando até 1987.

Prova disso é que recentemente o Museu Andy Warhol (em Pittsburgh, Pensilvânia), noticiou que uma série de trabalhos digitais do pai da Pop Arte havia sido recuperado em uma série de disquetes que continham as artes digitais de Warhol, até então inéditos, ocultos em antigos disquetes, porque não se havia encontrado uma forma de ler o conteúdo dos mesmos.

As obras são de 1985, quando foi convidado pela empresa Commodore International, a produzir artes com seu equipamento Amiga 1000, para demonstrar os recursos gráficos do computador, conforme informou o museu Andy Warhol em comunicado.


Assim Andy Warhol recriou a famosa lata de sopa Campbell’s, uma Vênus com três olhos, um retrato de Debbie Harry, a vocalista do grupo musical Blondie, e uma expressão de auto-retrato. 


Acompanhe o blog também em: Instagram | Twitter | Facebook | Pinterest

VOCÊ VAI GOSTAR TAMBÉM:

2 comentários

  1. Amo pop art, adoro Andy Warhol... muito legal sua postagem. bjux

    ResponderExcluir
  2. @vivicherry

    Vivi também amo pop art, quadrinhos, fascinada.

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem-vindos e eu vou gostar de saber o que você acha do blog ♥. Mas lembre-se: sem palavrões ou xingamentos. Ah! E deixe o endereço do seu site/blog pra eu poder visitar.

Ari

Portfólio

Fac

Todos os textos publicados são produzidos por Ariadne Rodrigues, exceto quando sinalizado. Por ser um blog de inspiração o material divulgado (fotos, vídeos, etc.) leva sempre o nome do autor e o link para o mesmo. Se ainda assim algum material não foi devidamente creditado ou não é permitido seu uso, você artista, pessoa pública, site ou empresa entre em contato via e-mail (devoltaaoretro@gmail.com) que o material será prontamente creditado e/ou removido. Não utilize as imagens e os textos feitos pelo De volta ao retrô, sem a minha autorização.

Faço parte